ESTREIA DO FILME/DOCUMENTÁRIO SOBRE A CAPEIA

No Auditório Municipal, e perante casa cheia, foi na noite do dia 18 de março apresentado o filme/documentário sobre a Capeia Arraiana e o filme do XXXI Festival “Ó Forcão Rapazes”.

Em relação ao filme/documentário, este resulta “do trabalho que durante o ano passado a Câmara Municipal promoveu e que consistiu no registo videográfico de todas as Capeias que se realizaram, bem como de algumas fases da mesma”, começou por referir o presidente do Município do Sabugal, António Robalo, realçando ainda que a Capeia “não é só pegar ao forcão. Também é o corte dos carvalhos e a construção do forcão, o convívio das mordomias e dos participantes, o fechar a praça, o encerro, o pedido da praça, o desencerro. É tudo isto que no filme/ documentário que se tenta reproduzir, constituindo-se o filme como um documento para que quem o vê, mesmo não conhecendo a Capeia, fique com a ideia clara da realidade”. (mais…)

“Tentámos as melhores, as mais atrativas, as mais simbólicas imagens de tantas e tantas horas de filmagens. Não houve favorecimento de nenhuma povoação ou Capeia. Aproveitou-se o melhor para contar uma história, fazer um filme que fosse atrativo, que contextualizasse a Capeia e que apresentasse todas as fases valorizando as mais diversas componentes”, afirmou.

António Robalo disse também na ocasião que se irá tentar uma exibição do referido filme/documentário num dos canais de televisão, e ainda concorrer com o mesmo a festivais de filmes documentários. Sendo assim “só depois de verificarmos todas as possibilidades de exibição dos filmes na televisão e em concursos e festivais do filme/documentário é que poderemos divulgar e disponibilizar a todos, todos os filmes”.

O presidente da Câmara Municipal terminou a sua comunicação deixando o seu agradecimento “a Ricardo Dias, da Mestre Clique, que, para além da produção, acompanhou de perto e supervisionou todo o trabalho. Ao realizador Hugo Moreira, a quem coube contar a história que era para contar, dando-lhe o seu cunho pessoal, fazendo prevalecer as suas opções estéticas, a expressividade da sua sensibilidade, a sua alma. Também um reconhecido bem-haja a todas as mordomias, aos pegadores, às comunidades, às Juntas de Freguesia, às Associações, aos muitos voluntários. Sem o envolvimento de todos e de cada um segundo a sua responsabilidade as capeias não se realizariam”.

No que respeita aos filmes de cada uma das Capeias, já temos um calendário de apresentação por todas as localidades.

Esperemos que este tenha sido um momento memorável para todos os que estiveram na noite de ontem no Auditório Municipal, na qual se enalteceu aquela que é a mais identitária das expressões da nossa cultura, a Capeia, uma manifestação cultural, de cariz popular, que dá identidade aos que cá residem e sentido de pertença à enorme diáspora espalhada pelo país e pelo mundo, estando a mesma registada no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, desde novembro de 2011.